A família é um verdadeiro alicerce para qualquer criança, auxiliando seu desenvolvimento e potencializando a aprendizagem. Embora algumas pessoas pensem diferente, é exatamente isso que uma criança com Síndrome de Down também precisa.

Para saber como lidar nessa situação e ajudar seu filho com Síndrome de Down durante a infância, confira a postagem de hoje!

Compreenda que o processo é diferente

Entenda que o processo é diferente com seu filho e tenha empatia pelo que ele vivencia, respeitando o tempo dele. Ele vai mesmo demorar um pouco mais a engatinhar e a andar, pois sua musculatura é mais flácida. E não é só isso: a linguagem e o aprendizado serão diferentes também, mas cabe a você lidar com essa situação com sabedoria e tratá-lo com carinho e paciência, como qualquer pai e mãe devem tratar seu filho.

Aposte em uma boa alimentação

Durante a infância, a alimentação tem um papel importantíssimo. A começar quando seu filho ainda é um recém-nascido, uma vez que o aleitamento materno faz com que a arcada dentária se desenvolva, assim como a dentição e a fala, pois estimula uma postura diferente dos lábios e da língua. Justamente por isso, a criança com Síndrome de Down deve ser amamentada como as outras.

Procure por ajuda especializada

Com o desenvolvimento um pouco diferente das crianças comuns, a criança com Síndrome de Down é um pouco mais lenta, mas, ainda assim, segue as mesmas etapas. Para sentir menos as diferenças, você pode investir em profissionais especializados, como fonoaudiólogos, psicólogos e terapeutas, que podem ajudar bastante a estimular seu filho.

Invista em uma escola inclusiva

A criança começa a ser alfabetizada ainda na infância, mas o processo de aprendizagem começa desde o nascimento, quando elas aprendem a reconhecer os familiares, a si mesma, a falar o nome dos animais, das cores, os números, a pedir o que querem etc. Isso transforma essa fase em um período de muitas descobertas.

Para continuar se desenvolvendo, é muito importante que seu filho seja colocado em uma escola regular assim que for independente para isso. Além de ajudar a formar o conhecimento, a escola também tem um papel importantíssimo na socialização das crianças, preparando cada uma delas para a vida em sociedade.

Opte por uma babá mais cuidadosa

Se você decidir investir nos cuidados de uma babá, é bom ser mais cautelosa, pois seu filho precisa de uma atenção diferenciada. Então aposte em uma escolha mais criteriosa, analisando se a pessoa tem atenção e carinho com seu filho. O ideal, caso seja possível, é escolher alguém que tenha qualificação e experiência e que conheça as singularidades das crianças com Síndrome de Down.

Conheça os mitos

O desconhecimento faz com que os mitos se propaguem com uma facilidade incrível. Conheça alguns delas:

Síndrome de Down é uma doença

Entenda que a Síndrome de Down não é uma doença e, por isso, não deve ser tratada como se fosse. A pessoa é apenas portadora de uma alteração cromossômica, apresentando características específicas e individuais como todos os seres humanos.

Existe cura

Como não é uma doença ou lesão, não existe cura. Nesse caso, uma pessoa pode se desenvolver com mais facilidade do que a outra, dependendo do grau da síndrome, independente da ação de remédios, cirurgias ou outros tratamentos.

Eles ficam agressivos com mais facilidade

Esse é outro mito comum e, como você deve imaginar, é errado generalizar nesse caso. Na verdade, cada pessoa se revela de uma maneira diferente, dependendo muito do ambiente e da família que está inserida.

Eles têm a sexualidade mais aflorada

Muitas pessoas dizem que eles são mais carinhosos, mas isso varia muito de pessoa para pessoa. A sexualidade se desenvolve da mesma forma que nas outras pessoas, mas eles não recebem a orientação devida e, por isso, podem se portar da maneira inadequada em certas situações.

Gostou do post? Para ficar por dentro do universo infantil assine nossa newsletter e receba as atualizações diretamente no seu e-mail!

Baixe nosso aplicativo (App) nas lojas Apple Store ou Google Play