Pode até não parecer, mas de acordo com um estudo realizado pela Escola de Medicina Feinberg da Universidade Northwestern Feinberg, nos Estados Unidos, até 8% das crianças são afetadas por alguma alergia alimentar — podendo também desenvolver alguma ao longo dos anos.

Diante desse cenário, você pai ou mãe, deve estar preocupado com a alimentação do seu filho e na dúvida se ele tem algum tipo de alergia alimentar. Mas o mais importante é saber quais os alimentos que mais comumente provocam alergia e estar atento aos primeiros sinais da reação alérgica para levar a criança a um serviço médico o mais rápido possível.

Quer descobrir, então, quais são os tipos de alergia alimentar mais comuns em crianças? É só continuar lendo o nosso post de hoje!

Alergia ao leite de vaca

A alergia ao leite de vaca é a mais comum em crianças, o que costumar preocupar muito os pais, já que essa é uma das principais fontes de nutrientes nos primeiros anos de vida. Assim, quando a culpa pela alergia recai sobre o leite, o leite de vaca é o principal suspeito, sendo necessário excluir a bebida e todos os seus derivados — como queijos e iogurtes da dieta da criança.

Alguns bebês podem, no entanto, ter alergia ao próprio leite materno já que ele transmite ao organismo infantil diversas substâncias obtidas pela dieta materna. Assim, se o bebê estiver em amamentação e for alérgico ao leite de vaca, pode ser necessário que a mãe também deixe de consumir esses alimentos. A boa notícia é que a maioria das crianças, cerca de 80%, deixa de ser alérgica ao leite de vaca entre durante a primeira década de vida, podendo retornar a ingestão normal dele.

Alergia ao ovo

A alergia ao ovo é a segunda mais comum, perdendo apenas para a alergia ao leite de vaca. Como os alimentos só são introduzidos na dieta da criança após os seis meses e é importante que a criança coma ovo antes de tomar a vacina contra febre amarela, aos nove meses, é nesse trimestre que a alergia ao ovo costuma ser descoberta.

Como o ovo não é fundamental na dieta da criança, basta substituí-lo por outras fontes de proteína, como carne bovina, peixe e frango e não deixar a criança tomar a vacina contra a febre amarela — que contém proteínas do ovo. E assim como acontece com a alergia ao leite de vaca, com o tempo a alergia ao ovo também pode desaparecer.

Alergia a amendoim

Dentre as sementes, o amendoim costuma provocar o maior número de reações alérgicas, afetando cerca de 0,8% das crianças. Embora não seja tão comum, a alergia ao amendoim costuma ser grave e provocar reações anafiláticas severas que colocam em risco a vida da criança.

Em geral, observa-se que a criança apresenta edemas de partes moles, como a mucosa oral, os lábios e as orelhas, e também um edema da laringe, dificuldade em respirar, broncoespasmo e queda da pressão. Dessa forma, é importante procurar um serviço médico de urgência ao surgimento de qualquer um desses sintomas e, a partir de então, garantir que a criança não terá mais contato com o amendoim.

Alergia à soja

A alergia à soja não costuma ser muito grave ou muito comum, mas muitos bebês que são alérgicos às proteínas do leite também são alérgicos à soja, então, é necessário ficar atento a essa associação e verificar se a substituição do leite de vaca por leite de soja realmente foi suficiente para resolver o problema da alergia.

Agora que você já conheceu os tipos de alergia alimentar mais comuns, confira a importância da alimentação para o desenvolvimento das crianças!

Assine nossaNewsletter

Join our mailing list to receive the latest news and updates from our team.

You have Successfully Subscribed!