Os animais de estimação costumam ser fofos e carinhosos, representando amor, lealdade e amizade incondicionais. E, certamente, faz muito bem às crianças crescerem ao lado deles. Mas como reagir quando seus filhos pedirem por um bichinho? Será que é a hora certa de ter um animal de estimação? E quando for preciso dizer não? Conheça as respostas para essas perguntas no post de hoje!

Uma lição de responsabilidade e paciência

Os bichinhos de estimação precisam da atenção e do auxílio dos humanos para tudo: comida, conforto, proteção, limpeza. E, desde pequenos, seus filhos podem – e devem – ajudar a tomar conta do pet.

Quando a criança começar a pedir o animal, é normal que ela prometa que fará tudo, desde limpar o cocô até dar banho, mas você sabe que a realidade pode não ser exatamente essa — isso não quer dizer que seu filho não deva ter obrigações com relação ao pet. Colocar comida e água para ele, por exemplo, é uma tarefa fácil e muito importante que pode ficar sob a responsabilidade das crianças.

E, conforme elas forem crescendo, as responsabilidades aumentam. Seus filhos devem, também, ajudar a colocar em prática os limites estabelecidos pelos pais: os pequenos não podem deixar o animal entrar ou subir onde vocês não deixam.

Ao ajudar a cuidar de um ser tão dependente de seus cuidados, as crianças aprendem importantes lições de responsabilidade e de como cuidar de quem precisa. Os bichinhos são também um exercício de paciência e de como lidar com o estresse, já que muitas vezes irão ser desobedientes e agir em desacordo com a vontade dos membros da família.

As vantagens dos animais de estimação

Mas qual é a hora certa de trazer um bichinho para a família? A partir dos quatro anos, as crianças já apresentam um bom entendimento de regras e responsabilidades. Quanto mais velhos forem seus filhos, mais eles podem ajudar nas responsabilidades do pet, mas a convivência entre crianças e animais de estimação é muito benéfica desde o nascimento.

Crianças que estão acostumadas com animais desde o nascimento têm menos alergias (a animais, poeira, pólen) e até mesmo um risco menos de desenvolverem asma — o contato frequente com os animais faz com que o organismo dos bebês e das crianças pequenas produza mais imunoglobulina A, anticorpo que evita a proliferação viral ou bacteriana, fortalecendo o sistema imunológico.

Além disso, em qualquer estágio do desenvolvimento da criança, o animal será um grande companheiro de brincadeiras ao ar livre, algo muito saudável para os pequenos.

Quando o “não” é necessário

Crianças costumam amar animais e ter muita vontade de ter um. Apesar de todas as vantagens, porém, o bichinho muda a rotina de toda a família e é um ser vivo que precisa de amor, atenção, paciência e muitos cuidados. Portanto, ele não pode chegar só para fazer a vontade dos seus filhos: a família toda precisa estar de acordo com da ideia.

E não é só a vontade que conta. Se vocês quiserem um cachorro e morarem em apartamento ou casa sem pátio, será preciso levá-lo para passear todos os dias. O pet precisará também de consultas ao veterinário e vacinas, ração e, no caso de alguma eventualidade, vocês podem ter que desembolsar um valor considerável para cuidar do animal. Portanto, a decisão de ter um pet não deve ser tomada sem muita consideração.

Às vezes, simplesmente, não é possível: o prédio em que vocês moram pode não permitir animais ou alguém da família pode ser alérgico a gatos ou cachorros. Seja qual for o motivo, se você decidir que não é possível ter um animal de estimação, deixe isso claro para o seu filho, explicando o porquê da decisão.

É muito importante respeitar a criança, que provavelmente ficará bastante chateada, mas seja firme no “não”. Ter os desejos negados faz parte da vida de todos e a criança deve aprender isso. Se a possibilidade de ter um animal for viável no futuro, fale que um pet pode vir a fazer parte da família mais para a frente, mas sem promessas de quando será isso.

Agora você está pronta para tomar a decisão de incluir ou não um animal de estimação na família. Para mais leituras como esta, curta nossa página no Facebook!