Se os pais pudessem escolher apenas uma coisa para desejar aos filhos, com certeza seria saúde. Mas, contrariando esse desejo, é inevitável que as crianças fiquem doentes, e poder contar com um pediatra de confiança ajuda muito nessas horas de necessidade.

Muito mais do que apenas diagnosticar doenças, um bom pediatra trabalha em conjunto com os pais para promover a saúde de seus pequenos pacientes, auxiliando em questões como alimentação, sono, vacinas e principalmente nos momentos de emergência médica. Então, como escolher um pediatra? Confira algumas dicas que podem ajudar nessa decisão:

Indicações

Os amigos e familiares podem ajudar muito na escolha do pediatra, oferecendo indicações de profissionais de confiança e recomendando consultórios e clínicas. Muitas vezes, o próprio hospital ou obstetra que acompanhou a gestação pode indicar um pediatra para acompanhar o bebê logo nos primeiros meses. Mas em qualquer um dos casos, os pais devem se sentir à vontade para seguir ou não essas recomendações, já que nem sempre o mesmo profissional consegue atender às necessidades de famílias diferentes.

Plano de saúde x consulta particular

A vantagem de contar com um plano de saúde é a tranquilidade de saber que sempre haverá um pediatra pronto a atender seu filho quando necessário. Mas se você escolher um pediatra que não é conveniado em nenhum plano, é importante ter uma reserva financeira para arcar com os custos das consultas — geralmente, uma por mês até a criança completar um ano, além de possíveis consultas extras em caso de doenças.

Localização

Um ponto importante a ser considerado é a localização do consultório ou da clínica. Pode parecer um fator secundário, mas a facilidade de acesso ao médico faz toda a diferença em uma emergência — você não vai querer perder tempo no trânsito ou cruzar a cidade quando seu filho estiver ardendo de febre, não é mesmo?

O consultório

O atendimento oferecido pela secretária, a limpeza e organização do consultório e até detalhes simples, como banheiro adaptado com trocador e brinquedos disponíveis na sala de espera, são fatores que podem ajudar na escolha do pediatra. Se o telefone está sempre ocupado e você não se sente bem-vinda quando chega à clínica, pode ser uma boa ideia buscar outro médico.

Finalmente, a empatia

De nada adianta seguir todas essas dicas se não houver empatia entre os pais, o pediatra e a criança. É importante construir uma relação de confiança com o médico que cuida da saúde do seu filho, e isso se reflete no atendimento dispensado por ele aos pacientes. Observe como ele conversa com a criança, se a consulta é apressada ou se ele dedica tempo a ouvir e responder às suas perguntas, e principalmente como você se sente ao sair do consultório. Se você sair de lá segura e tranquila, há uma grande chance de já ter escolhido o pediatra do seu filho.

A verdade é que não existe uma fórmula mágica para responder aos pais como escolher um pediatra, pois se trata de uma decisão pessoal de cada família. Aliás, essa é apenas uma das muitas escolhas difíceis que os pais terão de fazer ao longo da vida do filho. A busca pela melhor escola, por exemplo, também pode gerar muita insegurança, por isso não deixe de ler nosso artigo com dicas sobre esse assunto.

E você, como escolheu o pediatra do seu filho? Conte pra gente nos comentários e não deixe de assinar nossa newsletter para receber mais dicas sobre o universo infantil!

Assine nossaNewsletter

Join our mailing list to receive the latest news and updates from our team.

You have Successfully Subscribed!