Toda criança é diferente da outra, o que significa que elas sempre vão exigir uma abordagem diferente dos pais. O mesmo acontece com uma criança diagnosticada com autismo, mas nesse caso será preciso que os pais e toda a família se mobilizem para apoiar a criança e garantir que ela consiga se desenvolver e construir uma relação saudável com o mundo.

Como informação nunca é demais, no post a seguir falamos sobre como criar um filho com autismo, o que é preciso modificar em seu ambiente e de que maneira os pais devem encarar o dia a dia com a criança. Acompanhe:

Buscar ajuda profissional o quanto antes

Existem, sim, casos em que a criança só obteve ajuda médica quando já estava em idade avançada e ainda assim o tratamento surtiu efeito positivo. Mas, em geral, quanto antes a criança receber ajuda profissional, mais rapidamente você conseguirá enxergar a evolução do quadro.

Desde o 1º ano de vida, já é possível identificar certa dificuldade de a criança interagir socialmente. Ao perceber isso, os pais já devem procurar um médico especialista para se assegurar do diagnóstico e, em caso de confirmação, encaminhar a criança para a realização do tratamento.

Tente entender o tratamento indicado pelos médicos

Muitas vezes, ficamos com receio de questionar a forma pela qual o médico define qual é o melhor tratamento. Porém, você está sempre no direito de tentar entender os motivos pelos quais o profissional optou por determinada intervenção, bem como buscar uma segunda e até terceira opiniões.

Crie um ambiente seguro para a criança

Ainda que você encontre os melhores profissionais para cuidar de seu filho, o ambiente interno — isso é, a sua casa — precisa passar por determinadas adaptações para que ele se sinta sempre seguro. Converse com os médicos, terapeutas ocupacionais e psicomotricistas sobre como manter a casa com poucos estímulos e iluminação controlada, entre outros aspectos que podem ser mudados para que o tratamento seja ainda mais efetivo.

Envolva seus familiares e mostre como é criar um filho com autismo

A maneira como autismo se manifesta muda de criança para criança, portanto é sempre importante que a toda a família saiba detalhes de seu tratamento e ajude no que for possível.

Algumas crianças autistas ficam mais agressivas por conta de determinados fatores externos; outras, apenas se fecham em seu mundo e deixam de dar atenção ao que acontece ao seu redor. Os sintomas mudam de criança para criança, mas precisam ser explicados para as pessoas com quem elas convivem para que não se confunda a reação delas com uma indisposição ou malcriação qualquer.

Ter paciência, mas insistir sempre

O tempo de evolução da criança quando submetida ao tratamento pode variar muito. Isso significa que você precisa aprender a controlar a ansiedade, mas nunca deixar de insistir na melhora de seu filho. Pode ser que ele demore muito para reagir a um estímulo, mas você precisa continuar insistindo.

Lembre-se de que o tempo da criança -— mesmo aquelas que não foram diagnosticadas com autismo — é sempre diferente do seu tempo e que, por isso mesmo, é natural que ela demore algum tempo para internalizar comandos e ações esperadas.

Quer acompanhar os conteúdos do Click Babá sobre como criar um filho com autismo e muito mais? Siga nosso perfil no Facebook, Twitter, LinkedIn e Google+!

Download my app