O mercado de trabalho vem expandindo suas demandas para as mulheres, um dos motivos que justificam, muitas vezes, a ausência de mães no dia a dia dos seus filhos. Nesse contexto, a participação das avós na criação dos netos tem sido uma realidade bastante comum.

Entenda os benefícios do desenvolvimento infantil no ambiente familiar, bem como de que forma outros tipos de socialização são importantes para a criança.

A transformação do papel das mães na criação dos seus filhos

Durante muitas décadas, a mãe era considerada a principal educadora dos seus filhos: além de ser a genitora, ela tinha como principal função criar seus filhos com recursos que eram fornecidos, na maioria das vezes, pelo pai.

Algumas mudanças (como criação independente dos filhos pelas mulheres e aumento da oferta de emprego para o público feminino) têm contribuído para a transformação do papel da mãe na educação dos seus filhos.

Muito mais que em tempos remotos, hoje as mães buscam prover condições de criar os filhos trabalhando fora de casa, bem como optam por valorizar sua carreira em prol de melhores condições de vida para toda a família.

Da mesma forma que as mulheres vêm buscando ocupar seu espaço no mercado de trabalho (tendo menos tempo disponível para cuidar dos filhos), o papel dos avós na criação dos netos tem sido enfatizado.

Assim, muitas crianças atualmente passam parte do seu dia sob os cuidados dos avós. Essa relação familiar pode ter diversas implicações no desenvolvimento da criança e na vida família como um todo. Quer saber por quê? Continue a leitura!

Os benefícios para os avós na criação dos netos

São diversos os benefícios para avós que criam seus netos. Veja alguns deles.

Maior longevidade

Um estudo desenvolvido na Alemanha buscou avaliar durante 19 anos aspectos da vida de 500 idosos com idades entre 70 e 103 anos. A intenção era avaliar se o ato de cuidar dos netos estaria associado ou não à maior sobrevida desses idosos.

A pesquisa evidenciou que a convivência com os netos reduziu em cerca de 37% as chances de mortalidade dos avós.

Além disso, metade do grupo de avós que cuidavam dos seus netos viveu por dez anos após o início do estudo. Já no grupo controle (avós que não cuidavam dos seus netos), 50% sobreviveu apenas 5 anos.

Outro dado interessante é de idosos que não tinham netos: entre os que ajudavam seus filhos (emocionalmente ou nas atividades domésticas), houve uma média de sobrevida 5 anos maior que a dos que não mantinham esses comportamentos.

Os pesquisadores discutem que mais que ter netos ou filhos para cuidar, a principal reflexão em relação ao estudo envolve, justamente, a importância do contato com a família e a existência de responsabilidades para os idosos.

Esses fatores, portanto, são o que provavelmente contribui para a saúde psicossocial dos idosos e, assim, uma maior sobrevida.

Contudo, atenção! É válido ressaltar que um envolvimento mais intenso dos avós na vida dos seus netos pode causar o efeito oposto: maior estresse e maior desgaste físico e emocional.

Menor risco de depressão

Outro estudo realizado em Boston e desenvolvido pelo Instituto do Envelhecimento da Universidade de Boston avaliou dados de famílias estadunidenses coletados entre 1985 e 2004.

Entre os vários achados, o estudo sugeriu que, tanto para os netos quanto para os avós que conviviam juntos, as chances de depressão tornaram-se reduzidas.

Maior agilidade cognitiva

Mulheres idosas que cuidam dos seus netos ao menos uma vez na semana têm melhor desempenho cognitivo em comparação às idosas que não possuem netos ou que não agem dessa maneira, é o que sugere uma pesquisa desenvolvida na Universidade de Melbourne, na Austrália. Para a realização do estudo, foram avaliadas 227 idosas com idade média de 70 anos.

Benefícios para a criança: a importância da socialização com a família

Os benefícios do contato dos netos com os avós são mútuos: para os baixinhos, podemos destacar também diversas consequências.

Redução dos problemas de comportamento

Crianças que possuem envolvimento dos avós na sua criação têm menos problemas comportamentais e emocionais, segundo pesquisa realizada na Universidade de Oxford, que envolveu a avaliação de mais de 1.500 jovens do Reino Unido.

O estudo demonstrou que esses benefícios são percebidos principalmente nos casos em que os pais dos adolescentes são separados ou divorciados.

Desenvolvimento do senso de respeito aos mais velhos

Crianças que possuem a companhia dos seus avós durante seu crescimento aprendem a respeitar as pessoas idosas e suas limitações, principalmente pelo laço afetivo que é criado na relação.

Aprendizado sobre a tradição da família

Além disso, juntos aos avós, é possível que as crianças tenham contato com as histórias contadas sobre a criação dos seus pais, tios e dos próprios avós.

As crianças absorvem conhecimento sobre os fatos da infância e adolescência dos seus parentes, explorando a realidade da tradição e memória da família.

Ter contato com outros familiares (como tios e primos) e com pessoas sem parentesco (amigos, colegas, vizinhos etc.) é também importante para o desenvolvimento das crianças.

Esse processo de socialização é importante para que a criança:

  • adquira uma referência e base familiar sólida, desenvolvendo melhores relações interpessoais na sua vida;
  • conheça outras pessoas e aprenda a observar criações diferentes das suas, descobrindo características variadas de comportamento, valores e atitudes que serão importantes para formação da sua personalidade;

Babysitter: quais são as vantagens para o desenvolvimento infantil

Outro tipo de socialização que pode agregar muitas vantagens na criação dos pequenos é por meio de profissionais da saúde e da educação, como o caso de babysitters.

Quando bem capacitadas e instruídas para seu ofício, as babysitters conseguem educar crianças de uma maneira muito mais especializada.

Ao serem criados por pais, avós e pessoas da família, alguns excessos, que passam despercebidos (muita permissividade ou autoridade), podem atrapalhar o desenvolvimento adequado da criança. Assim, um trabalho especializado tem como premissa o cuidado com o exagero no trato.

Sobretudo, mais que uma babá, a babysitter com capacitação na área da saúde ou da educação conseguirá realizar tarefas diárias baseadas nos conhecimentos técnicos adquiridos durante sua instrução. Desse modo, é possível ficar muito mais tranquilo em relação ao cuidado dos seus filhos!

Mostramos para você o papel dos avós na criação dos netos. Você descobriu, principalmente, a importância da socialização da criança com membros de dentro e de fora da família e o papel da babysitter em seu desenvolvimento. Garanta melhores cuidados para seu filho e aprimore continuamente suas relações!

Gostou das nossas dicas? Que tal descobrir como escolher a escola ideal para seu filho?

Download my app