Diante os diversos fracassos, contratempos e dificuldades nas tarefas da maternidade, assumir uma mentalidade de vítima é um comportamento autodestrutivo para todas as mães, e precisa (urgentemente) ser tratado! Pare de acreditar que nada dá certo para você e aprenda a lidar com a vitimização!

“Essas coisas ruins só acontecem comigo”; “Ninguém gosta de mim e nem me quer por perto”; “Sou a pior mãe do mundo e meus filhos não me amam”: esses são pensamentos comuns no dia a dia das mães que se fazem de vítima. No entanto, ninguém merece acreditar que a vida é tão injusta, concorda?

Por isso, preparamos um post especial explicando sobre a vitimização e, em seguida, listamos 5 maneiras de exterminar esse comportamento da sua vida: fique atenta e descubra como não cair nessa armadilha!

O que é a vitimização?

Esse termo significa nada mais que se colocar na posição de vítima nas situações cotidianas. Segundo os especialistas, esse comportamento pode ocorrer nos mais variados contextos e atingir pessoas de todas as idades. Essa é uma manipulação de cunho emocional e é desencadeada nos momentos em que se esgotam os bons argumentos e o posicionamento perde a lógica.

Como identificar uma mentalidade de vítima?

Selecionamos sete perguntas chaves para você responder. Caso essas questões passem por sua cabeça, provavelmente você também sofre com a vitimização, e precisa aprender a responsabilizar a pessoa que você vê no espelho:

  1. Por que eu nunca tenho tempo para nada?
  2. Como as pessoas podem dizer que isso é minha culpa?
  3. Por que todos me fazem mal?
  4. Como os outros têm tanta sorte e eu nunca tenho?
  5. Por que as pessoas me enganam e me traem o tempo todo?
  6. Será que Deus me esqueceu e não me ama?
  7. Por que nunca tenho o que realmente mereço e preciso?

Como lidar com a vitimização?

Uma recorrência da mentalidade de vitimização acontece com as mulheres que assumem vários papéis: mãe, esposa e funcionária.

Não dividir as tarefas com o marido, assumir sobrecargas no trabalho, buscar atingir sempre a perfeição e acreditar que tem o controle do tempo, são apenas quatro dos maiores erros das mulheres que acreditam que devem “carregar o mundo nas costas”.

O resultado de tantas atitudes erradas não poderia ser outro: mães com sentimento de vítimas e nenhuma artimanha para otimizar o tempo e resolver os seus problemas. Se você se identifica com esse padrão, siga nossas dicas abaixo, foque em atitudes positivas e construtivas e perceba que sempre existem outras opções:

1. Fuja dos pensamentos negativos

Esperar sempre o pior e não ter esperanças nos resultados positivos é uma armadilha! Agindo dessa forma, você se transforma em uma autorrealização das suas profecias. Livre-se desses pensamentos agora!

2. Acredite em mudanças

É preciso reconhecer que nada permanece igual. As mudanças são constantes e se hoje não foi um dia legal, amanhã pode ser o melhor dia da sua vida. O ideal é reservar um tempo só para você e refletir sobre como traçar e encontrar novas soluções.

3. Divida tarefas

Pedir ajuda não é ruim e não quer dizer que você é fraca. Errado é acreditar que consegue realizar tudo sozinha e que não precisa de ninguém: peça ajuda e compartilhe as tarefas sempre que for necessário.

4. Assuma suas responsabilidades

Tenha certeza que você não é a única que possui problemas, mas atribuir isso à falta de sorte ou aos outros, piora tudo. Assuma suas responsabilidades, aja para mudar o curso da sua vida, siga na direção desejada e fique mais forte e resoluta.

5. Seja grata

Gratidão é um sentimento que está longe das pessoas que se sentem vítimas dos problemas. Por isso, reconheça e valorize o que é bom na sua vida — esse é o segredo para se colocar em situação ativa na sua própria vida e atrair bons pensamentos e ações.

E então, agora que é uma mãe que já sabe lidar com a vitimização, nos siga nas redes sociais — Facebook, Google Plus, LinkedIn e Twitter — e seja a mãe que os seus filhos precisam!

Download my app