Mais cedo ou mais tarde, seu filho vai querer ou vai ter que viajar sozinho: seja com amigos nas férias ou fazendo o trajeto até a casa de um parente sem você. Com preparo e conversas, essa ocasião não precisa ser motivo de pânico para ninguém! Seu filho terá uma experiência importante e você terá a certeza de que pode confiar nele para se virar sozinho.

No post de hoje, acompanhe nossas dicas e sugestões para que tudo corra bem para os pais e para os filhos!

Documentos necessários

De acordo com as leis do país, crianças de até doze anos só podem viajar desacompanhadas, dentro do Brasil, mediante apresentação de autorização judicial. A autorização pode ser solicitada por um dos pais da criança (mesmo se forem separados) na Vara da Infância e Juventude ou em um Posto Avançado de Atendimento. Maiores de doze anos não precisam de autorização, mas devem sempre portar a carteira de identidade ou certidão de nascimento.

No caso de viagens internacionais, a autorização é obrigatória para menores de 18 anos. O modelo está disponível no site da Polícia Federal e deve ser assinado por ambos os pais, mesmo em caso de separação. No aeroporto, os responsáveis também deverão preencher um formulário fornecido durante o check-in pela companhia aérea. Com isso, o aeroporto designará uma pessoa para receber seu filho no destino dele, entregando-o somente às pessoas determinadas pelos pais para recebê-lo.

Contudo, as companhias aéreas têm suas próprias regras quanto às crianças viajando desacompanhadas. Cada uma pode impôr um limite mínimo de idade, cobrar uma taxa referente à necessidade do auxílio de um funcionário durante o voo e, também, limitar a quantidade de menores desacompanhados em cada voo.

Crianças de até dois anos podem viajar com irmãos, tios ou avós mediante documentos que comprovem o parentesco, mas a autorização dos pais ainda é obrigatória.

Conversas e preparos

É importante que seu filho sinta que você confia nele para fazer a viagem sozinho, mas também saiba que você vai ajudá-lo no processo. Para isso, oriente-o a sempre ter acesso aos números de telefones dos pais ou responsáveis e dos adultos ou parentes com quem ele ficará. Instrua-o a saber quem procurar em casos de emergência, como funcionários de supermercados ou lojas grandes e policiais.

Converse com seu filho sobre a importância de respeitar as pessoas e a rotina da casa em que ele ficará — ele pode não ter a mesma liberdade ou hábitos que tem em sua própria casa. Da mesma forma, deixe claro aos adultos que o receberão o que seu filho tem ou não permissão de fazer (andar sozinho na rua, ingerir bebidas alcoólicas, etc.).

Durante a viagem

Mantenha contato com seu filho, mas não o sufoque: ele deve sentir que as ligações são para conversar com ele e não para “ficar de olho”. É assim que você manterá a confiança dele, deixando-o seguro para contar onde ele foi, com quem e tudo sobre a viagem.

Dessa forma, você perceberá como ele está se adaptando longe de casa, se está se sentindo seguro e confiante e curtindo a experiência. Incentive-o e mostre entusiasmo por ele!

Viajar sozinho é uma experiência importante para os filhos que, além de aprenderem a se virar longe dos pais e em um ambiente com outro funcionamento, também aprenderão importantes lições sobre maturidade, independência e responsabilidade.

Com nossas orientações, a viagem será inesquecível para a criança e bem mais tranquila para os pais! Outro momento muito importante na vida do seu filho é a escolha da primeira escola. Confira nosso post sobre o assunto!

Assine nossaNewsletter

Join our mailing list to receive the latest news and updates from our team.

You have Successfully Subscribed!