Segundo dados do Centro de Controle e Prevenções de Doenças norte-americano, uma a cada 68 crianças nasce com autismo no mundo. O transtorno, que se manifesta logo nos primeiros anos de vida, é uma espécie de pane do desenvolvimento neurológico. Existem exames médicos que podem identificá-lo, mas é mais fácil perceber os sintomas de autismo dentro de casa, por isso a importância de os pais conhecerem os sintomas.

Em nosso post de hoje, ensinaremos o que deve ser observado para identificar os primeiros sintomas de autismo infantil. Confira!

Sintomas de autismo nos primeiros meses de vida

O autismo pode ser identificado pelos pais principalmente na linguagem corporal dos filhos. Como bebês muito pequenos ainda não desenvolveram suas capacidades cognitivas, é mais difícil saber se eles tem ou não autismo.

Ainda assim, alguns sintomas podem já surgir na primeira infância, como bebês inquietos, que não dormem a quantidade de horas esperada, que choram muito ou só querem ficar no colo, independentemente de quem seja (a criança autista não tem muita afeição, então vai no colo de qualquer pessoa), que dormem em posições estranhas ou que preferem ficar sozinhas no berço do que em contato com os pais, em especial a mãe.

A partir dos 5 meses

Os bebês sem autismo, a partir de cerca de 5 meses de vida, começam a apresentar sinais de curiosidade, alegria e prazer em ter contato físico com outras pessoas. Nas crianças autistas, esses sinais são bem menos intensos e frequentes.

Nessa mesma época, as crianças começam a reconhecer o próprio nome. Os bebês ouvem o som do seu nome e já atendem a esse “chamado” por meio de olhares ou risadas — já os bebês com autismo, costumam levar um tempo muito maior para interagir neste tipo de situação.

Outro sinal que devel ser observado para identificar se o seu filho é autista, você vai perceber que à medida que ele for crescendo, vai apresentar mais dificuldade para aprender a falar que as demais e, quando aprende, costuma se chamar pela terceira pessoa (ele/ela) ao invés de “eu”.

Após o primeiro ano

Pela Classificação Internacional de Doenças e o Manual Diagnóstico Estatístico de Transtornos Mentais, a criança é considerada autista quando demonstra prejuízo das três áreas cognitivas: interação, comunicação e comportamentos. Os pediatras podem realizar uma série de exames, mas, se os sintomas ainda forem leves, os testes podem não acusar alterações significativas — dessa forma, torna-se essencial que os pais observem o comportamento da criança no dia a dia.

Quando ela completa 18 meses, é possível fazer um teste de triagem chamado M-CHAT, que conta com 23 questões sobre o comportamento da criança. Entre os principais itens, avalia-se:

  • o interesse do pequeno em relacionar-se com outras crianças;
  • se ele aponta para mostrar o que quer (um brinquedo, um copo d’água, etc.);
  • se leva esses objetos para o pai ou a mãe;
  • se tem o hábito de imitar os adultos a seu redor;
  • a forma como responde ao ser chamado pelo nome (com o olhar que seja).

Comportamento ao brincar

Nas brincadeiras, de uma forma geral, a criança autista não se comporta da forma como os adultos esperam. Elas não gostam muito de contato físico, então não respondem bem a brincadeiras de colo, como “cavalinho”, nem gostam de imitar (fazendo caretas, por exemplo).

Também evitam o contato com outras crianças, desgostando de atividades em grupo como “esconde-esconde”. Quando brincam sozinhos, os pequenos autistas não sabem usar brinquedos simples, como carros ou peças de montar, e não entendem brincadeiras de faz de conta, como falar ao telefone ou dar comida para uma boneca, por exemplo.

Atividades do dia a dia

Mesmo em momentos não sociais, como a hora de dormir, as crianças autistas também podem apresentar comportamentos diferentes. Se seu filho já é metódico desde cedo e gosta de seguir rituais antes de comer e dormir ou gosta de realizar atividades muito repetitivas, podem ser indicativos de autismo.

Outros sintomas que comuns são a falta da necessidade de chamar a atenção dos pais (a criança prefere se virar sozinha sempre que possível) e atitudes agressivas com outras crianças, adultos e até consigo mesma.

Se seu filho apresenta alguns dos sintomas de autismo, leve-o ao médico. Quanto mais cedo é diagnosticado o transtorno, mais fácil a criança pode retomar seu curso normal de desenvolvimento.

Tem alguma dica para ajudar que outros pais identifiquem os sintomas de autismo.

Baixe também nosso aplicativo (App) nas lojas Apple Store e Google Play

Assine nossaNewsletter

Join our mailing list to receive the latest news and updates from our team.

You have Successfully Subscribed!