Sabemos que cuidar de um bebê requer dedicação e esforço enormes, e envolve cuidado constante e atenção a uma série de detalhes. Nessa fase, os pais têm que tomar muitas decisões, e uma delas diz respeito ao berço. Afinal, é aconselhável colocar o bebê no quarto dos pais?

De fato, esse é apenas mais um dos dilemas da maternidade. E é justamente sobre ele que vamos tratar neste post!

Aqui mostraremos quais são as vantagens e desvantagens de deixar o berço no quarto dos pais, tudo para que você reflita e escolha a opção que mais se adapte à sua família. E então, vamos lá?

As vantagens de colocar o berço no quarto dos pais

Quando se trata de escolher sobre dormir, ou não, com o bebê no mesmo quarto, muitos especialistas e estudos demonstram resultados variados. A seguir, então, vejamos alguns argumentos a favor desse hábito:

Comodidade para os pais

A principal vantagem de manter o bebê no quarto dos pais é a comodidade, principalmente para as mães. Isso porque, nos seus primeiros dias de vida, o bebê costuma amamentar a cada 3 horas, ou até menos.

Por isso, o acesso ao bebê se torna facilitado quando a mãe dorme junto com ele, o que contribui para que ela fique menos cansada durante os primeiros meses — muitas vezes, os mais extenuantes para o casal.

E quando os pais são de primeira viagem, a preocupação é ainda maior! Afinal, eles tendem a ficar mais preocupados com o que possa acontecer com a criança, e verificam o tempo todo se ela está bem.

Atender às recomendações médicas em situações específicas

Existem alguns casos em que há recomendação médica para estar atento constantemente ao bebê.

Filhos que nascem prematuros ou com alguma doença específica podem precisar de alguns cuidados especiais. Se esse for o seu caso, não se martirize tanto por deixar ele junto com você nos primeiros dias ou meses.

Maior segurança em situações de perigo

Outra vantagem de compartilhar o quarto com o bebê tem relação com a segurança da criança, e a maior facilidade de contato com ela em situações de perigo, como incêndios, assaltos, ataques de animais da família e outros.

Uma vez que os pais terão como monitorá-lo mais facilmente, quando o bebê dorme no mesmo quarto dos pais as chances de asfixia acidental (provocados por vômitos, roupa de cama etc), crise asmática, síndrome de morte súbita do lactente e outras condições diminuem.

Inclusive, segundo a Academia Americana de Pediatria, compartilhar o quarto com bebês reduz os riscos da síndrome de morte súbita do lactente em até 50%.

Agora, quais são os cuidados que devem ser tomados quando o casal resolve dormir no mesmo quarto que o bebê? Vejamos:

Fique atento em relação à superfície em que o bebê dormirá

A Academia Americana de Pediatria recomenda que o bebê durma em uma superfície lisa e mais firme, evitando deixá-lo em superfícies muito macias, como sofás ou espaços muito almofadados, por exemplo.

Além disso, deve-se evitar colocar muitos travesseiros, cobertores e brinquedos macios, evitando acidentes (como sufocamento, asfixia, etc.).

Acostume o bebê a dormir no seu próprio berço

Outro detalhe importante diz respeito ao local onde o bebê dormirá, que jamais poderá ser a mesma cama dos pais. Isso porque, geralmente, o colchão dos adultos é mais macio que a superfície na qual o bebê dorme.

Além disso, as chances de aprisionamento — que pode ocorrer quando a criança está dormindo na cama de adultos — também diminuem se ela dorme no seu próprio espaço.

Utilize as tecnologias de monitoramento

Um acontecimento bastante comum, principalmente com pais que dormem com seus bebês, é ficar monitorando o sono dos pequenos de tempos em tempos. É claro que, com o tempo, os pais começam a identificar os sons do bebê e relacioná-los a necessidades específicas, ficando mais tranquilos em relação à necessidade de vigilância.

Assim, para facilitar o monitoramento do bebê, uma das alternativas é utilizar tecnologias de vigilância. Atualmente, são várias as opções disponíveis, como:

As desvantagens do berço nos quartos dos pais

Menor independência e autonomia

Uma questão que pesa muito na decisão de colocar o berço no quarto dos pais, ou não, é a independência da criança. Essa prática não é muito adequada, pois o bebê poderá ficar muito apegado aos pais e ter dificuldades de desenvolver sua autonomia e independência.

Por mais que seja ótimo ter esse ser cheirosinho do seu lado, é indispensável que ele se desenvolva e se perceba como indivíduo. Afinal, você não é imortal, e não estará para sempre ao seu lado, certo?

Alguns riscos para os bebês

Outro dos principais contras sobre o compartilhamento do quarto do casal com o bebê é quando os pais são fumantes, ou quando dormem embriagados. Tais hábitos podem ser prejudiciais à criança e, portanto, devem ser levados em conta no momento de decidir sobre a localização do berço do bebê.

Até quando o berço deve ficar no quarto dos pais

Se você optou por colocar o berço do seu filho no seu quarto nos seus primeiros dias de vida, ok. Só que isso não pode durar a vida inteira — até porque não será saudável nem para a relação do casal, nem para a criança.

O ideal é que a transição seja feita o quanto antes

A escritora Tracy Hogg — a famosa encantadora de bebês — cita que seu método PU/PD (pick up, put down) para ensinar bebês a dormirem nos seus berços pode ser utilizado a partir dos 3 meses. Ou seja, é preciso ensinar o bebê a dormir no berço o mais cedo possível.

Além disso, segundo a Academia Americana de Pediatria, bem como organizações na Grã-Bretanha e na Austrália, o compartilhamento do quarto dos pais com o bebê é recomendado somente até o primeiro ano.

Após esse período, é interessante começar a pensar em oferecer um cantinho próprio para seu filho. E, se você está preocupada com adaptação do seu filho, fique tranquila! Basta ir conduzindo esse processo aos poucos.

Criar um ritual para a hora do sono, por exemplo, pode ajudar nessa transição. Assim, o bebê estará seguro com a rotina e saberá que aquela será a hora do soninho, tendo mais facilidade para pegar no sono no seu próprio quartinho.

Enfim, como vimos, você pode até deixar o berço do seu bebê no seu quarto, mas o ideal é que ele vá para o seu próprio quartinho o quanto antes. E, de fato, não há uma “receita de bolo” quanto a isso: os pais precisam interagir com o bebezinho, entendendo como ele se comporta e reage.

Em todos os casos, lembre-se: a decisão é sua. Se você se sentir mais confortável com o bebê ao seu lado nos primeiros dias, faça o que o seu coração mandar. Só não prolongue muito essa situação, e tente levar o berço de volta ao quartinho do bebê o quanto antes. Isso será importante para o desenvolvimento dele.

E aí, gostou do post? Sabendo quais são as vantagens e desvantagens de colocar o berço no quarto dos pais, já conseguiu se decidir? Agora aproveite também para ler um pouco mais sobre como fazer o bebê dormir a noite toda!

Download my app