Eles nascem pequenininhos e indefesos. Precisam de nossa atenção exclusiva para sobreviver. E quando nos damos conta, nossos bebês já estão andando, falando e indo para a escola.

Mesmo que os pais não queiram desgrudar dos filhos, em um piscar de olhos, eles crescem. Chega um ponto em que as meninas não querem mais saber das bonecas, e os meninos ficam com vergonha de dançar na festa junina da escola. Seja bem-vinda, pré-adolescência!

Entre os 8 e os 12 anos, em média, os filhos começam a deixar de ser crianças, mas sem ainda alcançar a adolescência. Surgem as primeiras mudanças físicas e psicológicas, oscilando atitudes infantis com as de adolescentes. Para os pais, esse é um momento delicado que pede tato nas conversas.

Pensando nisso, no post de hoje, reunimos algumas dicas para te ajudar a se preparar para essa fase tão importante na vida de seu filho. Acompanhe!

Respeitar o momento

Seu bebezinho cresceu e, não, ele não virou um bebezão, mas, sim, um pré-adolescente! Portanto, ele não gostará de ser tratado como uma criancinha, com palavras infantis e muitos carinhos explícitos, principalmente na frente dos amigos. Ele terá, inclusive, vergonha de você em alguns momentos.

Mas não se preocupe, pois o problema não está nos pais. Todas essas atitudes são comuns de pré-adolescentes. Então, durante essa fase, uma sugestão é conversar com os filhos de uma forma mais adulta do que quando eram crianças.

Além disso, não é bom forçá-los a dizer o que estão sentindo o tempo todo, se estiverem com a cara mais fechada ou andam se trancando no quarto. Lembre-se de que há coisas que os seus filhos também estão tentando entender.

Ter paciência

O isolamento é muito comum nessa fase. Os pré-adolescentes passam horas a fio nos seus smartphones, ouvindo músicas, nas redes sociais ou mesmo brincando com jogos. Também, os amigos começam a ter grande importância na vida deles. É importante ter paciência e carinho para passar por esse momento sem muitos atritos.

Manter o diálogo

Nessa fase de transformação, vale a pena explicar para os filhos as mudanças físicas pelas quais eles estão passando ou ainda irão passar. A naturalidade e a espontaneidade podem ajudar a não criar constrangimentos.

As meninas começam a notas as mudanças mais cedo, como o nascimento de pelos e o crescimento dos seios. Normalmente, os meninos veem seus corpos mudarem um pouquinho depois. O surgimento da acne é normal, mas é importante ficar de olho para evitar complexos.

Orientar sobre drogas

É comum que, por estarem em um grupo de amigos, os pré-adolescentes tenham dificuldade em dizer não. Portanto, orientá-los a respeito das drogas é fundamental. Porém, não é hora de dar palestras sobre esse assunto: a orientação deve acontecer em forma de conselhos, sempre com naturalidade, expondo os malefícios das drogas.

É bom orientá-los a tomar suas decisões sem sofrer influência dos outros. Você pode aproveitar a deixa de uma notícia na televisão, por exemplo, para mostrar que esse caminho não é bom de ser seguido.

Conversar sobre namoro e sexo

O assunto pode ser abordado sem exageros, de forma leve e contextualizada, a fim de evitar que a falta de maturidade dos pré-adolescentes resulte em consequências graves, como uma gravidez precoce ou doenças sexualmente transmissíveis.

O importante é ter sempre consciência de que a pré-adolescência é uma fase natural pela qual todos nós passamos. Lembre-se de que o comportamento dos pais sempre será exemplo para os filhos. E com carinho, amor e paciência, é possível se preparar para vencer mais esse dilema da maternidade!

E você? Tem filhos na pré-adolescência? Deixe seu comentário e conte sua experiência!

Baixe nosso aplicativo (App) nas lojas Apple Store ou Google Play