Os aplicativos de celular vêm ganhando força e popularidade ao oferecer serviços inusitados e práticos do dia a dia, além de gerar empregos

A estrela mais recente da indústria de aplicativos para celulares, os apps, é o fenômeno Pokémon Go. O jogo faz uso da chamada realidade aumentada, em que o usuário precisa sair para as ruas e colocar o celular à frente dos olhos para encontrar e caçar pokémons que estão escondidos em diferentes locais. Mas nem só de jogos vivem os apps. Essa indústria, que deve gerar receita de 77 bilhões de dólares no mundo até 2017, segundo a consultoria em tecnologia Gartner, tem feito florescer outros nichos, como a de trocas de serviços e favores entre pessoas.

Foi com esse intuito que surgiram aplicativos como o Goleiro de Aluguel, o Click Babá e o GetNinjas. Além de atender demandas dos usuários – seja um encanador ou um sempre escasso goleiro de pelada – já são o meio de subsistência ou uma fonte extra de renda para muita gente.

Neto Marin, especialista em desenvolvimento Android do Google, afirma que os apps que oferecem serviços de pessoas para pessoas trazem oportunidades para quem está parado. “Esses aplicativos pegam pessoas ociosas e as conectam a quem precisa”, diz. “Com o smartphone na mão de todos, fica muito mais fácil.”

Confira abaixo apps – alguns, inusitados – de “aluguel de gente”: